BALADA EM BUENOS AIRES: PERRENGUE VOLTANDO PARA CASA

Atualizado em Dezembro , 2018

Balada em Buenos Aires: perrengue

Sem dúvida, Buenos Aires tem uma vida noturna incrível, não é novidade que amamos a balada de lá. Sabe aquela viagem que deixa saudades e histórias para contar, então essa foi nossa viagem para Buenos Aires. E inclusive acho que já podemos voltar néh.

Foi um viagem inesquecível, com muitas aventuras, lugares lindos e incríveis que sempre sonhamos em conhecer, muitos bares e baladas, muitooo pisco, empanadas e claro alguns perrengues, como o do ônibus que pegamos errado.

Mas não pense que nossos perrengues de Buenos Aires acabaram quando pegamos o ônibus errado e fomos parar no bairro La Boca. Esse só foi o esquenta, porque nossa viagem estava apenas começando. E claro tinha muita estrada pela frente e perrenguinhos para passar. Afinal de contas uma viagem sem aquelas situações que ninguém espera, acho que não existe hahaha.

Então vamos a mais um perrengue e dessa vez de novo foi quando tentamos voltar para casa de uma balada em Buenos Aires (mas dessa vez não foi problema com o ônibus hahaha). E acredite sobrou até para o pós boliche (como se chamam as baladas de Buenos Aires) em Palermo.

O começo de tudo

No último dia em Buenos Aires, resolvemos nos despedir da cidade em grande estilo, curtindo uma balada em Palermo. Desse modo, quando já era por volta de 11 horas da noite seguimos para o bairro. Aliás, se quiser saber mais sobre o melhor da vida noturna de Buenos Aires, veja esse artigo.

Até ai tudo bem, começamos a noite em um barzinho, depois de algumas cervejas e muita conversa fomos para a balada. Tentamos entrar em uma balada que já conhecíamos, mas como estava cheia, acabamos desistindo após mais de 1 hora na fila.

[seguros_promo_shortcode ideal_para=”3″ ideal_para_lbl=”América do Sul” theme=”card-large” coupon=”ELASVIAJANDO5″ show_logo=”false”/]

Então, quando ainda estávamos na fila, uma promoter nos convidou para outra balada. Como a primeira boliche não ia rolar, seguimos para a outra mesmo. E já adiantamos: Melhoor balada da vida. Nunca ficamos tão felizes por não conseguir entrar em uma balada kkkk. Afinal, se tivéssemos entrado não teríamos tido a oportunidade de conhecer a outra balada de Buenos Aires a “Lollita”.

A noite estava ótima, estávamos acompanhadas de uma pessoa que conhecemos em Buenos Aires, ele que nos apresentou a vida noturna de Palermo. Assim, curtimos muito a baladinha. Dançamos muito reggaetom, muito funk (os portenhos amam um MC Kevinho haha), bebemos o famoso pisco, fizemos amizade com várias pessoas super animadas. Enfim, foi uma noite bem divertida e animada.

E cadê o perrengue?

Mas você vai perguntar e cadê o perrengue meninas? Por que até agora foi só diversão. Pois bem, o perrengue foi na hora de voltar para casa, mais uma vez hahaha.

Assim, depois de aproveitar muito a balada de Buenos Aires, quando já era por volta das 7 horas da manhã, tínhamos que voltar para casa (afinal a balada estava fechando né!!). E ainda tínhamos que arrumar as malas, descansar um pouco e partir para Mendoza, que era nosso próximo destino.

Na hora de ir embora começou a saga, cadê a pessoa que tinha ido com a gente para balada? Pois é, tinha sumido rsrsrs e ele era a nossa carona para casa. Então, depois de procurar muito, resolvemos ir embora sem ele.

Portanto, ao sair da balada fomos pedir um Uber, mas advinham: não tínhamos internet hahaha. Muitos lugares públicos de Buenos Aires tem internet gratuita, mas acredite naquela balada não era um desses lugares. E como estávamos usando a Internet de chip brasileiro, ela vivia sem funcionar. Assim, fomos procurar nosso cartão de transporte público, talvez pudéssemos até parar em La Boca de novo rsrs. Mas uma hora íamos chegar em casa.

No entanto, não levamos nosso cartão de transporte e claro para melhorar a situação não tinha um táxi perto da balada. Até andamos um pouco procurando algum, mas nada de táxi. E olha que Buenos Aires tem um táxi a cada esquina. Mas claro que essas coisas tem que acontecer somente quando você esta em um lugar que não conhece e claro em outro país.

Naquele dia as coisas não estavam a nosso favor mesmo, porque para completar o pessoal nem tinha aplicativo de Uber (eles não costumam usar esse meio de transporte no dia a dia).

Enfim, a única opção até aquele momento que tinha sobrado era voltar para casa a pé hahah. E acredite voltaríamos se fosse preciso, já estávamos até nos alongando para a caminhada.

Solução do nosso problema

Mas felizmente tínhamos feito muitas amizades na balada. E foi ai que veio a solução: pegar carona com alguém que nos levasse até em casa ou até algum lugar com internet pra chamar o Uber hahaha.

Então pegamos carona com um argentino que jurava que era francês, e só ficava falando francês misturado com espanhol hahaha. Juro, não dava para compreender muito bem aquela língua que ele criou não.

Mas já no meio do caminho descobrimos que ele tinha apenas a permissão para dirigir. Mas não dava para descer do carro néh, e também não tínhamos muitas opções haha. Acredite não somos as melhores motoristas rsrsrs, mas dirigimos melhor que ele. Então você já sabe como foi a carona. Entramos na contramão, demos de cara com um carro de polícia. Ainda bem que a polícia não parou a gente (claro que já estávamos nos arrependendo da carona). Sem dúvida uma carona com muita adrenalina.

Mas finalmente chegamos na casa de um colombiano que também estava no caro. Hoje quando nos lembramos da história pensamos: como tivemos coragem de fazer isso, pegar uma carona assim? Mas eles eram super simpáticos e gente boa, foi uma carona sem segundas intenções mesmo.

Quando estávamos chegando na casa do colombiano ele falou que tinha uma surpresa pra gente, já pensamos: é hoje que vai dar ruim!!! Mas adivinhem, a nossa surpresa era que ele tinha uma cachorrinha super fofa e café colombiano hahah. Acabamos que nem tomamos o café (porque o pó dele tinha acabado), mas ele jurou que era melhor que o café brasileiro kkkk.

E toda história sempre tem um lado bom

Depois de ficarmos ali um pouco e conversamos, descobrimos que Carlos Vives é mais famoso que Shakira na Colômbia (isso foi novidade para nós haha). Assim, pegamos um pouco do wifi, pedimos o Uber e finalmente voltamos para casa, já chegamos era por volta da 10 horas para manhã. Mas deu tudo certo.

Claro que se você está de viagem marcada para fora do país lembre-se de adquirir um chip que vá garantir que você tenha Internet no país. Assim você pode evitar perrengues como esse. Agora que aprendemos a lição viagem só com chip internacional ou compramos um chip do país.


VEJA MAIS SOBRE BUENOS AIRES

► Ônibus de Buenos Aires: perrengue com o ônibus errado 

► Onde se hospedar em Buenos Aires? Principais Bairros

► O melhor da vida noturna em Buenos Aires


Planejando sua viagem? Faça aqui suas reservas!!!
Contrate seu seguro viagem 
Reserve nos melhores Hotéis 
Compre sua passagem aérea
Reserve sua casa pelo AIRBNB

1 thought on “BALADA EM BUENOS AIRES: PERRENGUE VOLTANDO PARA CASA”

  1. Adooooro esses relatos de viagem e, principalmente quando é um perrengue engraçado como esse. É incrível quando a polícia sempre aparece quando estamos fazendo coisas erradas, ne? hahaha sorte que não pararam vocês! Boa sorte e, na próxima vez, usem o chip da EasySIM4you 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

”chip