ILHA DE PAQUETÁ NO RIO DE JANEIRO: UM BAIRRO EXÓTICO PARA TE INSPIRAR

Atualizado em Junho , 2020

Conheça o bairro mais exótico do Rio de Janeiro, a Ilha de Paquetá. Veja ainda um pouco da sua história, como chegar, o que fazer, onde se hospedar e muito mais.

*Salve no Pinterest para ler depois

ILHA DE PAQUETÁ NO RIO DE JANEIRO

Imagine caminhar por um bairro sem prédios, não encontrar carros nas ruas e nem a grande agitação que sempre encontramos na maioria dos bairros, principalmente quando o assunto é Rio de Janeiro? Pois então, tudo isso você vai viver na Ilha de Paquetá, um bairro do Rio de Janeiro.

Na Ilha, o cenário nada se parece com o Rio de Janeiro, onde você encontra muita agitação e badalação. Desse modo, a Ilha de Paquetá mais se parece com um cenário de novela de época, onde as casas não possuem muros altos, as ruas ainda são de pedras e a calmaria toma conta do bairro, compondo um cenário único. Por isso, a ilha é um dos passeios imperdíveis do Rio de Janeiro imperdíveis.

É surpreendente encontrar um bairro assim em meio ao badalado Rio de Janeiro. Ao chegar à ilha você é contagiado pela tranquilidade do lugar, e caminha com muita calma para conhecer o bairro que inspira paz.

E certamente em novas oportunidades voltaremos para desfrutar um pouco mais dessa Ilha tranquila no Rio de Janeiro.

Nesse artigo vamos falar sobre a história e curiosidades da Ilha de Paquetá, bem como o que fazer e onde se hospedar.

Como chegar à Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro

O acesso para a Ilha de Paquetá é feito por barcas que saem diariamente da Praça XV, Centro do Rio de Janeiro. Para chegar até a Praça XV, como estávamos hospedadas na Lapa utilizamos o aplicativo da 99 POP, mas também é possível chegar de metrô, VLT Carioca ou ônibus.

barcas para a Ilha de Paquetá
Acesso a barca para Paquetá
Interior da barca para a Ilha de Paquetá
Interior da barca

As barcas para a Ilha de Paquetá possuem horários determinados, com intervalos de 1 a 2 horas entre elas. Então se planeje para não ficar muito tempo esperando a barca.

Para ver os horários atualizados das barcas acesse o site CCR Barcas.

A passagem custa R$ 6,30 (fevereiro/2019) e pode ser adquirida na bilheteria que também fica na Praça.

O trajeto até a Ilha que dura em média 70 minutos é bem tranquilo e você pode contemplar paisagens como a Ilha Fiscal, Baía de Guanabara e Ponte Rio-Niterói. Aliás, a embarcação é bem confortável, possui banheiros e vendedores ambulantes. Mas lembre-se de levar uma blusa de frio, já que a barca possui ar condicionado no máximo e costuma ficar bem frio, mesmo em dias quentes.

Onde ficar no Rio de Janeiro: as melhores regiões e bairros.

Sobre a Ilha de Paquetá: histórias e curiosidades

Ilha de Paquetá - Rio de Janeiro
Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro

Também conhecida como Ilha dos Amores, Pérola da Guanabara e Jardim dos Namorados, a Ilha de Paquetá fica localizado a 15 quilômetros do Centro do Rio de Janeiro. Aliás, a Ilha é um dos bairros mais antigos da Cidade Maravilhosa.

Assim, o bairro que possui aproximadamente 4.500 habitantes mais se parece com uma cidade do interior.

Paquetá era muito frequentada por moradores do Rio de Janeiro, mas devido o aumento da poluição das águas e o processo de favelização no morros da Ilha, com o passar dos anos ela foi caindo no esquecimento, inclusive para o turismo.

Contudo, a partir de 2011 com a iniciativa Paquetá Sustentável, a Ilha foi adotando medidas para acabar com a poluição de suas praias. Assim, atualmente podemos dizer que é um ótimo lugar para turistar e conhecer todos os seus encantos.

Apesar de ser um bairro do Rio de Janeiro, os moradores de Paquetá ainda dividem a Ilha em dois “bairros”, o Campo e a Ponte. Desse modo, o Campo é o lado norte da Ilha, voltado para o fundo da Baía de Guanabara, já a Ponte é o lado sul, voltado para o Rio de Janeiro e a entrada da Baía.

Muitos associam que a história do romance A Moreninha é a narrativa de uma estória real ocorrida na Ilha de Paquetá, pois alguns locais descritos no livro são associados a lugares de Paquetá.

Quais os meios de transportes da Ilha

Ilha de Paquetá vista  do  Parque Natural Municipal Darke Mattos
Ilha de Paquetá, vista do Parque Natural Municipal Darke Mattos

Na Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro não é permitida a circulação de carros particulares. Assim, os únicos carros que podem transitar no local são: viatura policial, ambulância, carro de bombeiros, caminhão de lixo e caminhonetas de mudança. Aliás, durante nossa visita a Ilha vimos apenas uma viatura policial e uma ambulância.

Ainda mais, os meios de transportes comuns na Ilha são carrinhos elétricos, ecotáxis, bicicletas, trenzinhos turísticos, barcos e canoas. Contudo, o transporte mais comuns são as bicicletas, praticamente todos os moradores possui uma.

Assim, para quem vai conhecer a Ilha, é possível alugar alguns desses meios de transportes e se sentir um verdadeiro morador.

Veja também 15 passeios imperdíveis no Rio de Janeiro.

Melhor época para ir à Paquetá

Como a Ilha de Paquetá é um bairro do Rio de Janeiro, durante todo o ano é possível conhecer o destino.

Mas é claro como qualquer destino turístico, a alta temporada pode atrapalhar um pouco seu passeio, principalmente se você não gosta de lugares lotados e quer aproveitar o ritmo calmo da ilha.

Então, se você quer conhecer a ilha em um período mais tranquilo, evite ir durante os meses de janeiro, fevereiro e março (durante esses meses a probabilidade de chuva também é maior).

Mas lembre-se, independente da época que você escolher para conhecer a ilha, ela é um destino com temperaturas bem alta. E apesar de você precisar de um casaquinho para atravessar a balsa, esse casaco não vai ser usado na ilha.

Veja também melhores lugares para viajar no Rio de Janeiro.

O que fazer na Ilha de Paquetá

Ilha de Paquetá
Ilha de Paquetá

Além de seu ambiente tranquilo e calmo, a Ilha de Paquetá possui muitas pontos turísticos para você conferir. Assim, na Ilha você poderá conhecer atrações culturais, históricas e naturais.

Então agora vamos conhecer um pouco das atrações que você vai encontrar em Paquetá. Sendo que a maioria delas ficam bem próximas umas das outras, o que facilita sua viagem, caso opte por fazer apenas um bate volta na Ilha.

1. Praça Pintor Pedro Bruno

 Praça Pintor Pedro Bruno
Praça Pintor Pedro Bruno

Em primeiro lugar vamos conhecer a Praça Pintor Pedro Bruno. Até porque essa é a primeira atração que você vai encontrar na Ilha.

Desse modo, você vai ver a praça logo que sair da estação de barcas.

Na praça que foi projetada pelo próprio Pedro Bruno, você encontrará várias obras do pintor, inclusive o bebedouro de pedra. Aliás, na praça você ainda pode ver uma estátua do pintor Pedro Bruno em bronze, ela foi feita pelo escultor Paulo Mazzuchrlli.

2. Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte

Para quem ama conhecer a arquitetura de Igrejas, pode conferir a Igreja do Senhor Bom Jesus do Monte. Sua construção original data em 1763, sendo que posteriormente passou por algumas reformas, mas sempre mantendo o seu estilo.

O interior da Igreja preserva um estilo neogótico e ela fica a poucos metros da estação de barcas.

Horário de Visitação: segunda a domingo das 7:00 às 17:00.

Endereço: Praia dos Tamoios, nº 45, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro.

3. Praça Bom Jesus do Monte

Essa é mais uma Praça de Paquetá que fica próximo à estação de barcas. Em volta da Praça Bom Jesus do Monte você encontrará bares e restaurantes.

Acompanhando a maior parte da Ilha, a Praça Bom Jesus do Monte é bem arborizada.

4. Caramanchão dos Tamoios

E se você procura um lugar romântico, certamente o Caramanchão dos Tamoios é a atração para você conhecer. Ele é uma estrutura de pedras e madeirsa feita pelo paisagista Pedro Bruno, e proporciona uma vista linda para a Praia dos Tamoios.

Além de ser um lugar agradável para você passar o tempo, o Caramanchão dos Tamoios rende muitas fotos lindas. Na verdade, a Ilha de Paquetá é bem fotogênica.

Endereço: Praia do Tamoios, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro (em frente ao nº 137).

5. Canhão de Saudação a D. João VI

O Canhão de Saudação a D. João VI faz parte da coleção de canhões que sempre saudava D. João VI quando ele visitava a Ilha.

O Canhão fica na orla da Praia dos Tamoios e é bem pequeno. Então pode ser até que ele passe despercebido durante sua visita à Paquetá.

6. Baoba Maria Gorda

Maria Gorda é a atração queridinha da Ilha de Paquetá. Trata-se de uma Baoba de origem africana, medindo mais de 7 metros de circunferência. E segundo a lenda da Ilha, se você beijar a enorme árvore será recompensando com sorte por um longo prazo. Então durante sua visita a Ilha, lembre-se de beijar Maria Gorda, não custa nada né.

Ainda mais, a Baoba Maria Gorda foi tombada pelo Instituto Estadual do Patrimônio Cultural em 1967.

Endereço: Praia dos Tamoios, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro (em frente ao nº 425).

7. Parque dos Tamoios

Sim, Paquetá é repleta de obras de Pedro Bruno e o Parque dos Tamoios é mais uma. Aliás, o Parque é dedicado aos índios Tamoios que ocupavam a Baía de Guanabara.

E claro, o Parque é mais um cenário de Paquetá que te inspira a paz, e é ótimo para tirar muitas fotos.

8. Preventório Rainha Dona Amélia

O Projeto do Preventório Rainha Dona Amélia, criado em 1920, era uma espécie de semi-internato. Lugar onde os filhos dos portadores de tuberculose eram levados, assim era possível prevenir o contágio.

Mas atualmente no local são atendidas centenas de crianças vindas de famílias carentes, na qual participam de atividades educacionais e extracurriculares.

Não é possível visitar o Preventório, mas a construção possui uma bela arquitetura e vale a pena conferir.

Endereço: Rua Cerqueira, 16, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro.

9. Praça de São Roque

Essa é a praça do padroeiro da Ilha de Paquetá e possui muita importância cultural para o local.

Assim, na Praça São Roque você ainda encontrará a Capela de São Roque, a antiga Escola Municipal Pedro Bruno (atualmente desativada), o Coreto Renato Antunes e a Casa de Artes de Paquetá.

10. Casa de Artes Paquetá

Localizada na Praça de São Roque, a Casa de Artes é uma linda construção com fachada alaranjada.

Desse modo, a Casa de Artes é o mais importante Centro Cultural da Ilha, local onde acontecem recitais e saraus. Ela possui um acervo fixo que conta com obras de arte que trazem a história da Ilha, bem como uma biblioteca.

Horário de funcionamento: segunda a domingo das 10:00 às 17:00 horas.

11. Pedra da Moreninha

A Pedra da Moreninha é um mirante natural localizado entre a Praia dos Coqueiros e da Moreninha, em uma rua sem saída.

Da Pedra da Moreninha se tem uma vista panorâmica para a Baía de Guanabara, Ilha do Brocoió e o palácio que é usado como residência alternativa do Governador do Estado.

12. Solar D’El Rey

É uma residência que hospedou D. João em suas passagens pela Ilha de Paquetá, no início do século XIX. Aliás, o Solar D’El Rey recebeu esse nome em homenagem a essa passagem.

O imóvel foi tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN, em 1937.

Endereço: Rua Príncipe Regente, 55, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro.

13. Parque Natural Municipal Darke Mattos

 Parque Natural Municipal Darke Mattos
Parque Natural Municipal Darke Mattos – Ilha de Paquetá

O Parque Natural Municipal Darke Mattos foi nossa atração preferida na Ilha. Aliás, ficamos tanto tempo lá que até esquecemos que tínhamos que conhecer as outras atrações de Paquetá.

Assim, o Parque é aquele ambiente bem natureza com muitas coisas interessantes para você aproveitar, como o Mirante Boa Vista, no Morro da Cruz que se tem uma vista privilegiada para a Baía de Guanabara.

Ainda mais, o Parque Darke Mattos abriga uma grande quantidade de árvores do tempo do Brasil Colônia. A entrada para o Parque fica na esquina da Praia José Bonifácio com a Rua Luís de Andrade.

Horário de funcionamento: segunda a domingo das 8:00 às 17:00.

14. Cemitério dos Pássaros

É isso aí, na Ilha de Paquetá você encontrará aquela atração bem diferente, o Cemitério dos Pássaros. Assim, o Cemitério é dedicado as aves e ainda possui uma parede cheia de versinhos feitos para elas.

Aliás, esse é o único Cemitério que se conhece no mundo dedicado aos pássaros.

Endereço: Rua Manoel de Macedo, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro.

15. Farol da Mesbla

Farol ilha de Paquetá

O Farol da Mesbla que possui 9 metros de altura fica localizado na Praia das Gaivotas.

Contudo, o Farol não está aberto para a visitação do seu interior. Mas vale a pena conhecer o local.

16. Casa da Moreninha

A Casa da Moreninha que possui um ótimo estado de conservação não está aberto para visitação. Mas vale a pena passar pelo local e conferir o imóvel.

Curiosidade: a Casa da Moreninha foi usada nas filmagens da novela “A moreninha” exibida pela Rede Globo em 1975.

Endereço: Rua das Gaivotas, nº 44, Ilha de Paquetá – Rio de Janeiro.

17. Matacões

Por fim, os Matacões são pedras bem comuns na maioria das praias na Ilha. Assim, elas possuem formatos arredondados e são repousos para aves marítimas.

Algumas pedras ainda recebem apelidos especiais dados por moradores da Ilha, devido aos fatos culturais do bairro ou as suas aparências, como a Pedra da Moreninha.

Praias de da Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro

Mas é atração que não acaba mais para você conhecer e curtir na Ilha de Paquetá no Rio de Janeiro.

Ilha de Paquetá
Ilha de Paquetá

E claro que na Ilha de Paquetá você encontrará muitas praias para se deliciar, enquanto curte o lugar. Então, agora vamos falar das praias da Ilha de Paquetá.

Mas você leu anteriormente e viu que as águas da Ilha eram poluídas. Contudo, atualmente o Instituto Estadual do Ambiente faz análises nas águas das praias de Paquetá e elas estão limpas, sendo próprias para banho.

De acordo com o último relatório do Instituto Estadual do Ambiente, apenas a Praia da Catimbau está imprópria para banho. Então, pode ir despreocupado para a Ilha porque você vai curtir praia sim.

Se você gosta de praias, não deixe de conhecer a Praia de Copacabana e Ipanema no Rio de Janeiro.

1. Praia José Bonifácio

 Praia José Bonifácio- Paqueta
Praia José Bonifácio

É nessa praia que ficam os pedalinhos coloridos para você alugar e curtir bastante o local. Aliás, é na Praia José Bonifácio que você encontrará a Ponte da Saudade.

A Ponte da Saudade (que na verdade é um píer) recebeu esse nome por causa de um escravo que diariamente ia até a ponte rezar para rever sua família que tinha ficado na África.

Nessa praia ainda se encontra a Pedra dos Namorados que segundo uma crença local você pode tirar a sorte se vai encontrar o amor eterno. Assim, segunda a crença se você atirar três pedras em direção ao topo da pedra e pelo menos uma não cair, você terá o amor correspondido e eterno.

2. Praia dos Tamoios

O nome da Praia dos Tamoios é em homenagem aos índios Tamoios, que viviam na região. Aliás, essa praia ainda possui uma grande quantidade de matacões que garantem um visual lindo.

3. Praia da Covanca

A Praia da Covanca não é muito indicada para banho, apesar da água não ser poluída. Mas o local garante um visual lindo com a grande quantidade de matacões.

4. Praia do Catimbau

A Praia do Catimbau fica mais ao norte da Ilha de Paquetá. Desse modo, ela possui vista para a Área de Proteção Ambiental de Guapimirim e Serra dos Órgãos.

5. Praia do Lameirão

A Praia do Lameirão não é uma praia indica para banho, pois o local possui muito lodo. Desse modo, a Praia é mais usada para a pesca de siris.

6. Praia Pintor Castagneto (Praia dos Coqueiros)

A praia que possuía o nome de Praia dos Coqueiros, atualmente é chamada de Praia Pintor Castegnete em homenagem ao pintor que ali residiu. Assim, uma de suas principais características é possuir muitas sombras de árvores.

No local você ainda encontrará barraquinhas vendendo salgados e refrigerante.

7. Praia de São Roque

A Praia São Roque abriga os barcos dos pescadores, o que garante aquele visual encantador. Então se você quiser uma praia com um visual lindo e cheios de barquinhos, essa é ideal.

8. Praia da Moreninha (ou Dr. Aristão)

Na Praia da Moreninha você encontrará a famosa Pedra da Moreninha. Culturalmente essa é a praia mais importante da Ilha de Paquetá, ela também é a praia com maior faixa de areia da ilha.

Assim, caso decida curtir a Praia da Moreninha, o local conta com um bar e várias barraquinhas.

9. Praia dos Frades (ou Manoel Luiz)

A Praia dos Frades fica ao Sul de Paquetá. Aliás, seu nome foi dado em homenagem aos Jesuítas que habitavam a região da Ilha.

10. Praias da Imbuca, Moema e Iracema

As Praias da Imbuca, Moema e Iracema são três praias seguidas e pouco exploradas na Ilha, contudo, são ótimos refúgios. Desse modo, nas praias você encontrará muitos matacões formando aquele visual lindo e único para o lugar.

11. Praia das Gaivotas

E na Praia das Gaivotas que fica o Farol de Mesbla. Assim, ela é uma praia bem pequena e agradável para você passar o tempo. Ainda mais, essa praia é usada praticamente por moradores.

12. Praia Grossa

Por fim, temos a Praia Grossa que possui esse nome devido a areia grossa que a mesma possui. Desse modo, a Praia Grossa é de fácil acesso, e fica próxima a estação das barcas.

Para ler em seguida:

Onde se hospedar em Paquetá no Rio de Janeiro

Ilha de Paquetá
Ilha de Paquetá

Apesar de ser possível conhecer Paquetá em apenas um dia, e é isso que a maioria dos turistas fazem, para conhecer melhor esse destino o ideal é se hospedar no bairro. Assim, você pode conhecer a ilha com calma e desfrutar também do seu cotidiano e calmaria.

Desse modo, na Ilha de Paquetá você encontrará muitos lugares para se hospedar. Em alguns casos, os próprios moradores abriram suas casas para receber os turistas.

Mas você também encontrará muitas pousadas ou casas para alugar. Só não vai encontrar grandes hotéis.

Desse modo, na Ilha de Paquetá você tem opções como o Solar dos Limoeiros, uma hospedagem familiar que no café da manhã oferece produtos orgânicos, ou ainda, a Pousada do Paulinho e Hospedaria Santa Bárbara.

Confira todas as opções de hospedagens na Ilha de Paquetá.

Mas se você vai fazer o passeio de apenas um dia na Ilha de Paquetá e prefere se hospedar em outro bairro do Rio de Janeiro, veja aqui as melhores regiões e hospedagens.

Veja também Passeios diferentes no Rio de Janeiro – 8 dicas incríveis, pelo blog Destinos e Afins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

”chip