Se você está planejando um mochilão pela América do Sul, certamente surgiu inúmeras dúvidas. Como planejar o mochilão? Como montar um roteiro de viagem? E como fazer um mochilão barato? Além de outras inúmeras dúvidas.

Para te ajudar nesse planejamento, preparamos um guia cheio de dicas e informações que vão te auxiliar a planejar e realizar o seu mochilão pela América do Sul. Mas também separamos dicas úteis para você economizar durante a viagem, além de sugestões de roteiros.

Dicas para planejar um mochilão pela América do Sul

Mochilão pela América do Sul
Bogotá |Foto: Michael Barón via Unsplash

Planejar um mochilão pela América do Sul pode parecer algo difícil, mas essa não é uma tarefa muito complicada. Claro que o planejamento requer tempo e muitas pesquisas. Mas no final, planejar um mochilão é bem mais prazeroso do que complicado.

E se você está sonhando em jogar a sua mochila nas costas e explorar as lindas paisagens, a deliciosa culinária e as diversas culturas da América do Sul, o planejamento não é mais um obstáculo para a sua viagem. Então, confira as nossas melhores dicas para planejar o seu mochilão pela América do Sul.

1 – Definir o orçamento do mochilão pela América do Sul

Definir o valor que você pode gastar na viagem é um dos passos mais importantes, pois o orçamento disponível vai impactar diretamente na escolha do destino, duração da viagem e elaboração do roteiro.

Assim, antes de começar a planejar o seu mochilão pela América do Sul, aconselhamos que defina um orçamento máximo que você pode gastar durante a viagem.

2 – Definir datas e dias disponíveis para o mochilão

Cataratas do Iguaçu - Argentina
Cataratas do Iguaçu – Argentina | Foto: Jonatan Lewczuk via Unsplash

Epóca da mochilão pela América do SUl

Com o orçamento definido é hora de ver a sua disponibilidade para fazer o mochilão pela América do Sul.

Nessa etapa, é importante saber qual o período do ano você vai ter disponibilidade para viajar. E lembre-se que alguns destinos não são viáveis para conhecer em certas épocas do ano, devido às condições climáticas.

Mas é claro que muitos destinos da América do Sul podem ser visitados durante todo o ano. Então as opções de lugares incríveis para conhecer em qualquer época são muitas.

Definir o período da viagem também é muito importante para a organização do roteiro de quem quer economizar ou fugir dos lugares cheios. Nesse caso, você pode escolher visitar os destinos que são baixa temporada na época da sua viagem, conseguindo assim, aproveitar os bons preços e os destinos mais vazios.

Duração do mochilão pela América do SUl

Agora que você decidiu em qual época do ano vai viajar, é hora de definir quantos dias tem disponíveis para fazer o mochilão. A disponibilidade de dias também vai influenciar diretamente na escolha dos seus destinos e elaboração do roteiro.

Desse modo, se você tem apenas 15 dias ou menos, disponíveis para mochilar, não é recomendável que você viaje para 3, 4 ou mais países. Afinal, você não quer passar a metade da sua viagem em um ônibus ou avião.

Portanto, para quem está com pouco tempo de viagem, além de conhecer menos lugares, é aconselhável escolher bem o meio de transporte. Por exemplo, se você tem apenas 10 dias para mochilar e vai de uma cidade para outra de ônibus em uma viagem que dura mais de 24 horas, você vai perder um dia que poderia estar conhecendo algum lugar, no ônibus.

Então, para mochilões mais curtos, avalie bem os meios de transporte que vai pegar e a duração da viagem. Assim, você pode ver se vale a pena manter a cidade no roteiro ou se pegar um avião é mais viável.

Mas para quem está em um mochilão mais longo ou sem data para voltar, a duração dos deslocamentos não vão impactar muito na viagem.

3 – Escolher destinos do mochilão pela América do Sul

Parque Termal Menetúe em Pucón no Chile
Pucón – Sul do Chile

Além do seu gosto pessoal, ao escolher o destino, você deve considerar as dicas anteriores.

Assim, escolher o destino é um trabalho de muita pesquisa. Você vai escolher quais países da América do Sul quer conhecer, e então, ver se na época escolhida para viajar é viável conhecer esses destinos. Ainda mais, você deve definir quantas cidades pretende conhecer conforme a duração do mochilão.

Além disso, considere o seu orçamento na hora de escolher o destino. Assim, para quem vai fazer um mochilão mais econômico é preferível viajar para os países baratos da América do Sul, como Bolívia e Peru, e fugir dos destinos caros, como a Patagônia.

4 – Documentação necessária

Documentação para viajar

Após escolher os países e as cidades que você vai conhecer, é hora da parte burocrática. Como em qualquer viagem internacional, em um mochilão pela América do Sul, você precisa juntar os documentos necessários para entrar nos países de destino.

A boa notícia é que devido a acordos diplomáticos, você não vai precisar de muitos documentos para entrar nos países da América do Sul. Veja os documentos que, normalmente, são exigidos:

  • Identidade ou Passaporte: os países da América do Sul não exigem passaporte para brasileiros (veja 8 países incríveis para viajar sem passaporte). Portanto, você pode viajar apenas com a identidade.
  • Certificado internacional de vacinação: alguns países como a Colômbia exigem a vacina contra febre-amarela. Por isso, é necessário o Certificado de Vacinação.
  • Seguro viagem: devido à situação do Covid-19, alguns países, como a Bolívia, podem exigir seguro viagem com cobertura para Covid. Então é muito importante você pesquisar todas as regras para entrar em cada destino do seu mochilão.

Esses são os principais documentos exigidos pelos países da América do Sul. Mas outros documentos podem ser necessários. Então, antes de viajar, pesquise no site do Itamaraty ou outro site confiável, as recomendações para a viagem e quais os documentos necessários para entrar nos países escolhidos para o mochilão.

Veja também: Como tirar o passaporte pela primeira vez – passo a passo.

5 – Equipamentos necessários

Mochilão pela américa do Sul
Foto: Tristan Pineda via Unsplash

Se você vai mochilar pela primeira vez, provavelmente precisa comprar alguns itens para a viagem. E para quem está com o orçamento apertado, a compra de equipamentos pode impactar no seu dinheiro para a viajar. Então, é necessário um bom planejamento na hora das compras.

Na hora de planejar o que comprar antes da viagem, o destino já deve ter sido escolhido, pois, as condições climáticas e atividades a serem feitas no destino (ou destinos) vão impactar na escolha dos equipamentos a serem comprados.

O primeiro equipamento, sem dúvida, é a mochila. E para quem ainda não tem esse item, veja dicas para escolher seu mochilão. Depois é hora de analisar se é necessário comprar alguma roupa específica.

Mas se você vai para lugares frios ou de neve, como a Patagônia, é preciso comprar roupas próprias para o frio, como segunda pele, agasalhos corta-vento, luvas e outros.

Para quem pretende fazer muitas trilhas e esportes de aventura, avalie também a necessidade de comprar sapatos e roupas adequadas para trekking.

E se você é aventureiro e vai acampar em sua viagem, é claro que não pode deixar de avaliar a necessidade de comprar equipamentos para camping, como barraca, saco de dormir e outros.

Então, avalie bem quais roupas, sapatos, agasalhos e equipamentos são necessários para explorar os destinos escolhidos, assim como, a necessidade de comprá-los. Mas lembre-se que tudo que você levar, precisa ir no seu mochilão. Então é bom não exagerar nas compras e levar apenas o necessário para a viagem.

Veja também: Lista de viagem – um checklist com tudo que não pode faltar na mala.

6 – Hospedagem

Outro passo super importante no planejamento é a escolha da hospedagem. Portanto, comece fazendo uma busca nos principais sites de reserva para ver os hotéis/hostels que te interessam e ter ideia de quanto você vai gastar em hospedagem.

Normalmente usamos o Booking e Hostel World para fazer as pesquisas e reservas. Veja os melhores sites para reservar hospedagem barata.

Gostamos bastante do Hostel World para ver as avaliações dos hostels. Mas sempre acabamos concluindo as reservas pelo Booking mesmo.

Para quem gosta de um mochilão mais organizado ou está planejando uma viagem mais curta, a melhor opção é reservar as hospedagens com antecedência. Pois, assim, você otimiza seu tempo e evita perrengues.

Deixar para reservar as hospedagens durante a viagem é indicado para quem tem mais tempo de mochilão, gosta de montar um roteiro mais flexível e não se importa em passar alguns perrengues.

Dica: não recomendamos reservar hospedagens direto no destino, se você vai viajar para lugares turísticos em alta temporada, nem em lugares que estejam acontecendo algum evento ou grande festival na época da sua viagem. Nesses casos, tem grande chance de você não conseguir um local para dormir ou os preços estarem absurdamente elevados para reservas em cima da hora.

Já passamos por isso em Pucón. Ao tentar reservar um hostel a noite, quando chegamos na cidade, não achamos vaga em nenhum lugar. Assim, tivemos que dormir no carro (pelo menos estávamos de carro, então não foi de todo ruim).

7 – Qual moeda levar para o mochilão pela América do Sul

Sempre pesquise qual a melhor moeda que você deve levar para cada país da viagem e onde trocar dinheiro. Normalmente, o Dólar é uma moeda fácil de trocar em qualquer país da América do Sul. Então, não tem erro em levar Dólares para a sua viagem.

Mas em alguns países, como Argentina e Chile, levar Real e fazer o câmbio no destino também é uma opção muito vantajosa.

Portanto, sempre pesquise as melhores opções de câmbio e qual moeda levar para os países a serem visitados.

E se você vai viajar para cidades mais remotas, as opções de câmbio nesses destinos, normalmente, são inexistentes. Ainda mais, os lugares mais remotos não costumam aceitar cartão de crédito. Então certifique-se de sempre viajar para esses destinos com a moeda local, seja levando o dinheiro local direto do Brasil ou trocando em alguma outra cidade do país.

8 – Pesquisar meios de transporte

Meios de transporte em um mochilão pela América do Sul
Colonia del Sacramento no Uruguai

A forma como você vai se locomover em uma cidade também influencia no seu orçamento. Assim, pesquise quais os meios de transportes mais comuns da cidade. Veja o que dá para ser feito a pé, se a cidade tem Uber, táxi, aluguel de bicicleta e quais os transportes públicos.

Na maioria dos destinos, o meio de transporte mais econômico é o público. E em muitas cidades, como Buenos Aires e Santiago, o transporte público é barato e eficiente. Em outras cidades pequenas, como Colônia del Sacramento, é possível fazer quase tudo a pé, não sendo necessário muitos gastos com transporte. Ainda mais, algumas cidades como Buenos Aires oferecem bicicleta gratuita, o que é ótimo para economizar (e claro andar de bike é sempre bom, né).

Então, sempre pesquise o meio de transporte mais viável para usar na cidade. Veja também como você vai chegar do aeroporto ou rodoviária no seu hostel e se é possível ir nos pontos turísticos por conta própria, com Uber, táxi ou transporte público.

9 – Roteiro

Roteiro  - mochilão pela América do Sul
Minca – Colômbia | Foto: Reiseuhu via Unsplash

Essa é praticamente a parte final do planejamento. Mas vale lembra que o roteiro não precisa ser algo que você vá seguir a risca, seus planos podem mudar durante a viagem, isso é super comum em um mochilão. Ainda assim, consideramos o roteiro muito importe, pois ele funciona como um guia para a sua viagem.

E para quem não gosta de seguir roteiro, está tudo certo, é só escolher o destino e se jogar. Porém, para viagens mais curtas, o roteiro e planejamento vão otimizar o seu tempo.

Então, agora é hora de definir quantos dias você vai ficar em cada cidade, quais pontos turísticos vai visitar e quais passeios fazer.

Para definir quanto tempo ficar em cada cidade, você deve considerar os atrativos e passeios que quer fazer.

Se o seu mochilão for curto, dificilmente você vai conseguir conhecer a fundo cada cidade. Então vai ser necessário fazer um roteiro bem enxuto, conhecendo somente as atrações que você ache mais interessante.

Mas no caso de uma viagem longa ou sem data, você pode deixar o roteiro mais flexível e ir conhecendo as atrações aos poucos e com mais calma.

Dicas para montar o seu roteiro

  • Na definição do roteiro você deve considerar o tempo de deslocamento entre uma cidade e outra, assim como, os dias que você vai chegar e ir embora. Dependendo do horário que você chegar e do horário que for embora, não dá para fazer nada nesses dias.
  • E claro que você não precisa conhecer todas as atrações de uma cidade, só porque são consideradas imperdíveis.
  • Portanto, considere seu gosto pessoal na hora de montar um roteiro. Não é porque os principais atrativos de uma cidade são os museus, que você precisa visitar um monte de museus, mesmo sem ter o mínimo interesse por eles. E se você não gosta de trilhas, não precisa fazer aquela trilha famosa que todo mundo faz, gaste seu tempo e seu dinheiro com alguma atração que realmente goste.
  • Monte o roteiro de acordo com o seu orçamento de viagem. Assim, para quem está com o orçamento mais apertado, prefira fazer os passeios gratuitos ou baratos.
  • Se possível deixe sempre algum dia livre no roteiro, assim você vai ter disponibilidade para fazer passeios e conhecer atrações que os locais ou outros viajantes te indicarem.

Dica: Não gostamos muito de seguir um roteiro engessado. Então, o que sempre fazemos nas viagens mais longas é anotar as atrações que queremos muito conhecer e completar o roteiro durante a viagem, conforme as dicas dos locais ou do que vamos vendo no destino.

Já em viagens curtas, nunca tivemos boas experiências com roteiros mais soltos. Nessas situações, nunca conseguimos conhecer o local direito e a impressão que fica é que não conhecemos nada. Portanto, uma viagem curta exige um pouco mais de planejamento para você aproveitar bem e conhecer vários lugares.

10 – Seguro Viagem para mochilão pela América do Sul

Santiago no Chile
Santiago – Chile

Antes da pandemia do Covid-19, nenhum país da América do Sul exigia o seguro viagem para brasileiros. Porém, agora alguns países, como é o caso da Bolívia, podem fazer a exigência de um seguro com cobertura para Covid.

As regras estão em constante mudança e adequação, conforme a situação de cada país. Até o momento somente a Bolívia está exigindo o seguro, mas outros países também podem adotar essa medida.

Mas mesmo para países que não exigem o seguro viagem é recomendável que você contrate um, pois o seguro é de extrema importância para evitar perrengues e até mesmo grandes gastos médicos.

Sabemos que para muitos mochileiros o orçamento é apertado. Mas esse é um gasto que vale muito a pena e que levando em consideração os benefícios, não é muito elevado.

Existem muitas empresas de seguro viagem no mercado, nós sempre usamos a Seguros Promo e a Real Seguros, que são comparadores que buscam sempre os melhores preços e os melhores planos do mercado.

Outra forma de conseguir o seguro com baixo custo (ou grátis) é usando o seguro viagem do cartão de crédito. Algumas categorias de cartões oferecem seguro viagem gratuito. Então pesquise se o seu cartão possui esse benefício e as condições de uso. Pesquise também qual a cobertura oferecida pelo cartão e se ela atende as suas necessidades.

Veja também: 5 dicas para contratar seu seguro viagem.

Dicas para economizar em um mochilão pela América do Sul

Para quem vai fazer um mochilão pela América do Sul com um orçamento apertado, economizar durante a viagem é essencial.

Então, se você está procurando dicas que vão te ajudar a reduzir os custos da viagem, vamos te dar sugestões para economizar e fazer um mochilão mais barato pela América do Sul.

1 – Hospedar em quarto compartilhado

Fique em quarto compartilhado para economizar na hospedagem.

Mochilão pela América do Sul
Foto: Marcus Loke via Unsplash

Se você vai mochilar sozinho, os quartos compartilhados dos hostels com certeza são ótimas opções para economizar na hospedagem. Na América do Sul, você pode encontrar quartos compartilhados bem baratos, o que é ótimo para economizar.

Além de economizar, os hostels são ótimos para conhecer pessoas e fazer novas amizades.

Mas se você vai viajar acompanhado, vale a pena conferir os quartos privativos. Às vezes, o preço de um quarto privativo para duas pessoas e o preço de duas camas em dormitório compartilhados são bem semelhantes.

2 – Procurar restaurantes e comidas locais

Fuja dos restaurantes, cafés e bares turísticos, se você quiser economizar em seu mochilão pela América do Sul.

Puerto Varas no Chile
Puerto Varas no Chile

Sabe aquele café instagramável em um destino super turístico que todo mundo tira foto? Então, ele provavelmente custa muito mais caro do que o cafezinho da rua de trás. Por isso, se o seu objetivo é só fazer uma refeição e economizar, fuja desses lugares.

Os restaurantes, cafés e bares turísticos, quase sempre possuem preços mais elevados. Então, se você quer economizar, prefira comer nos lugares que as pessoas locais frequentam.

Se você vai para um destino muito turístico, normalmente os cafés e restaurantes das zonas turísticas também tem preços mais elevados.

Então, na hora das refeições é sempre bom andar um pouco para as ruas mais afastadas. Normalmente, nelas você vai encontrar opções mais em conta para fazer as suas refeições.

As comidas de rua também costumam ser uma ótima opção para quem quer economizar. Mas tenha cuidado ao comer a comida, afinal você não quer pegar uma intoxicação alimentar no meio da viagem. Mas lembre-se que os cuidados com a alimentação não valem apenas para a comida de rua. Afinal, devemos ficar atentos as condições de higiene, preparo e armazenamento de alimentos em qualquer lugar, principalmente durante uma viagem.

3 – Usar transporte público e andar a pé

Sempre que possível, prefira os transportes públicos, bicicleta ou andar pé.

Dicas para economizar em um mochilão pela América do Sul
Buenos Aires | Foto: Christian von Koenig via Unsplash

Usar Uber, táxi ou outros transportes privados normalmente são mais caros, principalmente se você vai viajar sozinho e não tem ninguém para dividir as contas. Então, prefira utilizar os transportes públicos, pois em muitas cidades eles são baratos e eficientes.

A melhor opção para economizar é andar a pé (afinal é de graça, né). Então quando for escolher a sua hospedagem, prefira uma localização que lhe permita conhecer o máximo de atrações a pé.

Outro transporte que costuma ser barato são as bikes. Assim, algumas cidades oferecem aluguel de bicicleta bem barato ou até mesmo de graça. Então nesses casos, vale muito a pena optar pelas bicicletas como meio de transporte.

Dica: se você não está viajando sozinho, em algumas cidades o Uber ou Táxi, dividido para duas ou mais pessoas, pode sair mais barato que o transporte público. Então, nesse caso pode ser mais barato usar os transportes privados. Faça sempre as continhas para ver o que sai mais barato.

4 – Pesquisar os preços dos passeios e tentar algum desconto

Sempre pesquise o preço em várias agências e peça aquele descontinho, antes de fechar o passeio.

Dicas para economizar em um Mochilão pela América do Sul
Chiloé – Chile

Os passeios, dependendo do destino, podem encarecer bastante a viagem. Então, pesquise bem antes de comprar um passeio com alguma agência.

Além do preço, avalie a qualidade do serviço oferecido pela agência. Afinal, economizar um pouco e receber um péssimo serviço pode não ser tão vantajoso.

Por fim, após escolher a agência que mais te agradou, não custa nada chorar um descontinho. Então pergunte se não tem como eles te darem algum desconto. Por exemplo, se você vai pagar à vista e no dinheiro, pergunta se não tem desconto para esse meio de pagamento (normalmente tem).

E se você vai contratar o passeio para mais de uma pessoa, pergunta se não tem algum desconto para grupos. Já conseguimos bons descontos em passeios assim, então não custa tentar.

5 – Beber bebidas locais

As bebidas fabricadas no próprio país/cidade costumam ser mais baratas.

Como economizar no mochilão

Para quem ama drinks ou não abre mão de um cervejinha, sabe que os gastos com bebidas em uma viagem não são poucos. Então, se você quer economizar um pouco nas bebidas, prefira beber as locais, elas normalmente são mais baratas.

A marca de cerveja local é quase sempre mais barata, então, porque não beber ela né. Aliás, os drinks típicos também costumam ter ótimos preços, sendo uma boa oportunidade para beber barato e ainda provar as bebidas típicas do destino.

6 – Fazer suas próprias refeições

Comprar no mercado e cozinhar em casa é bem mais barato que comer fora.

Se você quer mesmo economizar, a melhor opção é fazer compras no mercado e cozinhar suas próprias refeições. E para quem vai ficar em hostels, as cozinhas compartilhadas que eles oferecem são bem úteis nessas horas. Vale até fazer aquela massa com um leve sabor de carne, vulgo miojo.

7 – Viajar a noite

Se você fazer as viagens mais longas durante a noite, pode economizar uma diária de hospedagem.

Sabe aquela viagem de ônibus que dura 6 horas ou mais? Se você optar por fazer ela a noite, pode dormir no ônibus, e assim, economizar uma diária no hostel ou hotel.

Então sempre que for fazer deslocamentos mais longos, prefira fazer a viagem durante a noite para economizar na hospedagem. E se você pegar um ônibus ou outro meio de transporte mais confortável, vai conseguir ter uma boa noite de sono, além de economizar.

8 – Comprar passagem múltiplos destinos

As passagens múltiplos destinos podem sair muito mais baratas que os trechos comprados separadamente.

Mochilão América do Sul

Se você vai conhecer muitas cidades na mesma viagem, as passagens múltiplos destinos podem te ajudar a economizar no transporte. Isso porque, dependendo da rota a ser feita, você pode conseguir algum trecho gratuito ou a custo bem baixo, se optar pelo voo com múltiplos destinos.

Um exemplo foi o nosso mochilão pela Argentina e Chile. Nele, iríamos comprar passagem de ida do Brasil para Buenos Aires e de volta de Santiago para o Brasil. Mas no mochilão iríamos conhecer Mendoza, que fica à 13 horas de ônibus de Buenos Aires. Assim, a passagem de ônibus de Buenos Aires a Mendoza custava em média R$ 300,00 e ainda tinha a duração da viagem que era um grande problema. E a passagem de avião, de Buenos Aires para Mendoza, estava custando no mínimo R$ 600,00, o que era caro para o nosso orçamento.

Então resolvemos cotar uma passagem múltiplos destinos do Brasil a Buenos Aires, Buenos Aires a Mendoza e Santiago ao Brasil, e o preço final foi exatamente o mesmo da passagem Brasil x Buenos Aires e Santiago x Brasil. Ou seja, ganhamos um trecho totalmente de graça.

Então, sempre faça uma pesquisa nos sites das companhias aéreas, para conferir se a passagem múltiplos destinos vale a pena. Não é sempre que essa estratégia funciona, mas não custa tentar e ver se vale.

Veja também: Melhores sites e dicas para encontrar passagem aérea barata.

Sugestões de roteiros para um mochilão pela América do Sul

Roteiro Clássico 1: Chile, Peru e Bolívia

Macchu Picchu
Macchu Picchu | Fotot: Willian Justen de Vasconcellos via Unsplash

Esse é um dos roteiros mais clássicos e mais incríveis da América do Sul, feito pelos mochileiros.

Nesse roteiro, que começa no norte do Chile e termina no centro-sul do Peru (ou ao contrário), é possível conhecer alguns dos principais pontos turísticos da América do Sul. Assim, ao se jogar nessa aventura você pode conhecer pontos turísticos incríveis, como Deserto do Atacama, Salar de Uyuni, Lago Titicaca e Macchu Picchu.

Ainda mais, você pode explorar cidades como La Paz, Sucre, Arequipa, Copacabana, Puño, Cusco e Lima. Mas dependendo do seu gosto pessoal ou a duração da viagem, você pode acrescentar ou tirar cidades do roteiro.

O ideal é que esse roteiro seja feito em no mínimo 15 dias, pois menos do que isso a sua viagem vai ser muito corrida, não sendo possível conhecer o mínimo de cada lugar. Nós particularmente, achamos que o tempo ideal para fazer o roteiro (San Pedro do Atacama, Uyuni, Sucre, La Paz, Copacabana, Puno, Arequipa, Cuzco e Lima) é de em média 28 dias, pois nesse caso dá tempo de conhecer bem cada cidade e fazer os principais passeios.

Roteiro Clássico 2: Uruguai, Argentina e Chile

Colonia del Sacramento no Uruguai
Colonia del Sacramento no Uruguai

Esse também é um roteiro clássico e até mesmo barato. Para quem não está com muito dinheiro para investir em passagem aérea (ou mora na fronteira do Uruguai), esse é um ótimo roteiro. E se você quer economizar no aéreo, pode pegar um voo até Porto Alegre ou Pelotas e seguir de ônibus para o Uruguai.

Ainda mais, existem muitas promoções de passagens aéreas para Santiago e Buenos Aires. Então, começar ou finalizar o mochilão nesses destinos é uma boa opção.

E claro que tanto o Uruguai, quanto a Argentina e o Chile são países cheios de belezas naturais, cidades lindas e uma cultura incrível.

Se você passar pelo Uruguai, a costa uruguaia possui praias e vilarejos para lá de charmosos, como Punta del Diablo, Cabo Polônio e Colônia del Sacramento. E para quem gosta da agitação das grandes cidades, Montevideo e Punta del Este não podem faltar no roteiro.

Na Argentina, você pode explorar toda a agitação, cultura e culinária portenha em Buenos Aires. Desfrutar das lindas paisagens, esportes radicais e vinhos de Mendoza e San Rafael, ou ainda, conhecer Córdoba e Rosário.

No chile, além da capital Santiago e todos os seus atrativos, você pode conhecer as cidades de Valparaiso, Vinã del Mar e Isla Negra, ou ainda, conhecer Cajón del Maipo e Embalse El Yeso. Mas nos arredores de Santiago, você também vai encontrar muitas vinícolas e passeios.

É possível se deslocar entre os três países com facilidade, usando apenas transporte terrestre e marítimo. Então, se você pretende fazer esse roteiro todo por terra e conhecendo as principais cidades, recomendamos uma viagem de no mínimo 25 dias.

Se você tem menos de 15 dias disponíveis para o mochilão, recomendamos que conheça apenas 1 ou 2 países.

Roteiro neve e aventura: Sul da Argentina e Sul do Chile

Sul da Argentina e Sul do Chile
Foto: Bruno De Regge via Unsplash

Se você ama a natureza, aventura, trilhas, esportes ao ar livre e lindas paisagens naturais, esse é um ótimo roteiro para um mochilão.

Mas vale lembrar que a região da Patagônia é um dos destinos mais caros da América do Sul. Portanto, se você está planejando um mochilão mais econômico, esse pode não ser a melhor opção de roteiro.

Na região da Patagônia, você vai encontrar muitos passeios e cidades incríveis com muitas trilhas, lagos, geleiras, estradas cinematográficas e paisagens maravilhosas.

Nesse roteiro, você pode explorar as cidades e os pontos turísticos da Patagônia, tanto do lado argentino quanto do lado chileno. Assim, nesse mochilão você pode conhecer El Calafate, Torres del Paine, Ushuaia, Punta Arenas, Puerto Natales e El Chaltén.

Outra dica importante é a época do ano para fazer esse roteiro. O ideal é que um mochilão pela Patagônia não seja feito no inverno. Nesse período, as condições climáticas não são boas, pois tem muitas nevascas e ventos fortes. Assim, a maioria dos parques e trilhas podem ser fechados a qualquer momento do inverno, devido ao clima.

Roteiro tropical: Equador e Colômbia

Mochilão pela América do Sul
San Andrés | Foto: Guillermo Bresciano via Unsplash

E para quem gosta de praia, que tal um mochilão pela costa da Colômbia. Afinal, praias lindas no caribe não faltam. Assim, a costa colombiana é repleta de praias com águas azuis cristalinas, muitas comidas deliciosas, passeios incríveis e hostels para lá de animados.

Na costa colombiana, você pode conhecer lugares e praias incrivelmente lindas como Cartagena, Santa Marta, Minca, Parque Tayrona e a famosa ilha de águas cristalinas, San Andrés.

Ainda mais, se você tiver tempo, pode estender o seu roteiro para outras cidades da Colômbia e conhecer a moderna Medelín, a capital Bogotá, o paraíso do café Salento e a capital da Salsa, Cali.

E para quem tem ainda mais disponibilidade de tempo, que tal estender o roteiro até o Equador e aproveitar as praias e as belezas naturais da região.

O acesso por terra da Colômbia para o Equador é bem simples, e claro, você também pode pegar um voo de Bogotá para Quito e otimizar o seu tempo.

O Equador é um país incrível e cheio de belezas naturais, nele você pode conhecer todo o charme, história e arquitetura de Quito e Cuenca. E explorar as belezas naturais de Baños. Mas para quem ama uma praia com muita agitação, Montañita não pode ficar de fora do roteiro.

E se você não está com o orçamento apertado, pode incluir Galápagos em seu roteiro de viagem. Galápagos é um arquipélago perfeito para quem gosta de observar a vida marinha e a vida selvagem.

*Salve no Pinterest para ler depois

Mochilão pela América do Sul

Para ler em seguida: